Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Parque Histórico Nacional dos Guararapes

Acessos: 13802
O Parque Histórico Nacional dos Guararapes (PHNG) tem um significado especial para o Exército Brasileiro (EB), que o considera como o berço da Nacionalidade e da própria Instituição, onde sua Força Terrestre foi concebida e onde estão fincadas suas raízes, sua célula mater. O Decreto s/n, de 24 de março de 1994, instituiu o dia 19 de abril, data da 1ª Batalha dos Guararapes, como o “Dia do Exército Brasileiro”.

Os Montes Guararapes, situados no distrito de Prazeres, município de Jaboatão dos Guararapes e distando 14 km ao sul do centro do Recife, desenvolvem-se perpendicularmente ao litoral, separando a planície do Recife da planície de Prazeres. Do alto destes Montes, tem-se domínio da esplêndida paisagem circundante, abrangendo de norte a sul, as colinas de Olinda, a cidade do Recife e as elevações que a circundam, o porto as praias de Boa Viagem e Piedade, o aeroporto dos Guararapes, a planície de Prazeres, a lagoa Olho d’Água, o Cabo de Santo Agostinho e, finalmente a sudoeste, os canaviais da Usina Muribeca.
Os Montes Guararapes compreendem três elevações, separadas por grotas estreitas: o Monte do Telégrafo ao norte, debruçado sobre a planície do Recife; o Monte dos Oitizeiros, que se desenvolve no sentido leste/oeste e, correndo paralelo a sul deste, o Outeiro dos Guararapes, formado por duas elevações gêmeas, numa das quais está situada a Igreja de N.S. dos Prazeres.
Os historiadores que se dedicaram ao estudo da Campanha da Restauração são unânimes em indicar a área acima descrita, bem como o local denominado “boqueirão”, como o cenário das batalhas dos Guararapes. As verdadeiras raízes do Exército Brasileiro estão fincadas nos Montes Guararapes, a partir da constituição do “Exército Libertador” que derrotou os holandeses, tornando-se a célula máter da Força Terrestre do Brasil.
O Parque Histórico Nacional dos Guararapes Criado em 1971, ocupa área de 224,4 hectares, onde estão os Montes Guararapes, palco das duas Batalhas dos Guararapes, um dos mais importantes episódios da nossa
História Militar, na luta contra a dominação holandesa no nordeste brasileiro. Na oportunidade, pela primeira vez, houve a manifestação do sentimento pátrio, caracterizado pela união de índios, negros e brancos em torno da nobre causa. Em seu interior, merece especial destaque, a Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, construída por ordem do General Francisco Barreto de Menezes, comandante das tropas luso-
-brasileiras naquelas batalhas, cujas vitórias abriram caminho para rendição definitiva do invasor.
Assinado em janeiro de 1654, na Campina do Taborda, a rendição pôs fim a 30 anos de guerra contra a Holanda, considerando que a primeira invasão ocorreu na Bahia, em 1624.
A missão do Parque é preservar a área, mediante a realização de ações voltadas para sua conservação, mantendo-o como sítio histórico mais importante do país a ser legado para as gerações futuras.
O PHNG está situado em Jaboatão dos Guararapes-PE, onde recebe em média duas mil pessoas por mês para visitação.
O Exército Brasileiro instituiu o dia 19 de abril como a data de sua criação, dado o valor histórico da consagrada vitória, na verdade berço da Nacionalidade e do Exército Brasileiro.
Com propósito de dar consequências ao ato, emitiu Diretriz Ministerial em 1996, onde regula as ações da Instituição no processo de revitalização e de sua preservação.
 


A criação do Parque Nacional dos Guararapes
A União Federal, por intermédio do Decreto nº 57.273, de 16 de novembro de 1965, desapropriou, com o objetivo de se tornar um parque público, os terrenos onde se desenvolveram as duas Batalhas dos Guararapes. Pertenciam anteriormente ao Mosteiro de São Bento de Olinda, lavrando-se a escritura registrada de desapropriação amigável deixando à Ordem Beneditina dez hectares dessa área, incluindo a Igreja.
Por meio do Decreto n° 68.527, de 19 de abril de 1971, a União Federal criou, na área desapropriada, o Parque Histórico Nacional dos Guararapes, sob administração do Ministério da Cultura, por intermédio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).
Em 14 de abril de 1998 a Delegacia do Patrimônio da União em Pernambuco entregou oficialmente à Administração do Exército, mediante Termo de Entrega, datado e lavrado às folhas 141/157 do livro próprio, em comum acordo com o IPHAN. Atualmente, o Parque Histórico Nacional dos Guararapes é administrado pelo Comando da 7ª Região Militar.
O compromisso é de impedir a expansão das invasões, preservando uma área livre de cerca de 80 hectares.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página